– Acorde!

Não reconheceu sua própria voz. Olhou de novo para as próprias mãos, tentando encontrar seus dedos, mas não conseguiu. Na extremidade de seu novo membro superior não havia dedos. Seus braços agora eram pedaços de madeira.

Como o resto de seu corpo ainda estava embaixo do lençol, achou que aquela era a única mudança que havia ocorrido. Quando tentou se virar, porém, não ouviu o som de sua pele em atrito com o tecido, mas sim o som de fios sendo arrebentados pelas arestas brutas da matéria da qual agora seu corpo todo parecia ser feito.

Não conseguia respirar. Mas surpreendentemente conseguia falar.

– Acorde! – desta vez quase gritou. Não queria tocá-la, pois tinha medo de que uma farpa de suas não-mãos a ferissem. Ainda não conseguia respirar, mas aos poucos percebeu que não era mais preciso. Tentou erguer seu tronco da cama para que sentado talvez enxergasse melhor o que estava acontecendo.

Sentia o cheiro de madeira recém cortada em si mesmo. Os móveis de seu quarto não eram tão novos para o que cheiro proviesse deles. E conhecia muito bem aquele cheiro, marcado em suas memórias de criança, quando ficava assistindo os marceneiros que trabalhavam ao ar livre na vila em que morava.

Olhou novamente para a mulher que dormia ao seu lado e viu que ela continuava sendo de carne. Chamou-a pelo nome, num tom áspero que a assustou, finalmente a trazendo de volta do sono. Ela olhou para o relógio na cabeceira da cama e o repreendeu com o olhar inchado de quem ainda queria dormir.

– O que foi?

O que foi? Como não vê o que estava acontecendo? Olhe pra mim! Não tenho mais sangue nas veias, não tenho veias! Olhe minha pele!

– Olhe pra mim!

– Estou olhando.

– Não está vendo o que aconteceu?

– Você está sonhando. Deite de novo.

Detestava quando acordava delirante e de repente se dava conta de que um pedaço de sonho havia escapado de sua boca. Detestava tanto que sua cabeça doía. Doía tanto que parecia em febre. Queimava tanto que entrou em combustão.

E morreu queimado, sem deixar vestígios de que era feito de carne.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s